Coordenação Artística

António Jorge Nogueira

 

António Jorge Nogueira

Diplomado pela Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, na classe do professor António Oliveira e Silva.
Cursou Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa.
Licenciado em instrumentista de orquestra pela Academia Nacional Superior de Orquestra na classe do professor Aníbal Lima.
Participou em cursos de aperfeiçoamento musicais com Marc Destrubé, Yossi Zivoni, Gerardo Ribeiro, Rainer Sonne, entre outros.
É músico convidado da Orquestra Sinfonia Portuguesa e da Orquestra Metropolitana de Lisboa.
Professor de violino, especializado no ensino de crianças pelo método Suzuki no Conservatório Metropolitano de Música de Lisboa.
Artista de reconhecida versatilidade, gravou diversos discos e actuou com bandas Pop Rock como THE GIFT, Room 74, Ena Pá 2000 e Irmãos Catita, Íris, entre outros.
Colabora regularmente com músicos da área do Jazz, como Filipe Melo, Marta Hugon, João Paulo Esteves da Silva, e participou em projectos de Fernando Tordo, Carlos do Carmo e do Saxofonista Holandês Henk Van Twillert.
A convite da METROPOLITANA foi solista nas recitas de estreia de “The Evil Machines” no Teatro São Luís, de autoria de Terry Jones e com música de Luís Tinoco.
Fundador do Tempus, um Quarteto de Cordas vocacionado para o Jazz que participou no lançamento do documentário “José e Pilar” no LUX acompanhando os Pedro Granato (Brasil) e Pedro Gonçalves (Dead Combo).
Com uma formação muito abrangente e empreendorismo inato, criou, juntamente com um amigo o VINYL que desde 2008 é referenciado como um espaço onde têm passado todas as expressões culturais, desde o jazz às noites de poesia, marcando um território especial tanto na gastronomia como na cultura de Lisboa
Director Artístico e Produtor dos WORKSHOPS OML JÚNIOR – nos períodos das férias da Páscoa e Verão de 2007 a 2010, que contaram a participação de Eunice Munoz, António Rosado e Camané.
Mentor do Projecto “Helder Moutinho e os Fadistas”, projecto dedicado a Grandes Fadistas, concebido para a Festa do Fado em 2012, com arranjos de Daniel Schvetz.