Mário Augusto

Mário Augusto

Jornalista desde 1986, colaborou em diversos jornais, designadamente “O Comércio do Porto”, onde estagiou, “Êxito”, “Sete” e Revista “Sábado”.

Na rádio, trabalhou na “Rádio Comercial”, “Rádio Renascença”, trabalhou durante vários anos na “RDP Antena 1”, “Antena 3” e foi fundador da “Rádio Nova”, em 1989.

Em Televisão tem vindo a desenvolver uma carreira, iniciada em 1985 em programas infantis da RTP (canal 1 e 2) e foi assistente de produção de vários projectos na RTP Porto.

Desde 1988 é jornalista e apresentador de televisão, tendo apresentado vários espaços e rubricas de informação cinematográfica.

Em 92, com o aparecimento da SIC, integrou a delegação do Porto.

Apresenta desde o início da carreira vários programas de cinema e faz habitualmente entrevistas às estrelas da 7ª arte.

Noutras áreas de Televisão, tem realizado Grandes Reportagens, com destaque para o trabalho sobre a situação do Nordeste Brasileiro (no ano de 1994), e para uma investigação sobre a emigração portuguesa na Califórnia e Havai, trabalho que concretizou em 1997, numa grande reportagem da SIC, “Mandem Saudades”, com que ganhou o prémio de reportagem da Fundação Luso Americana para o desenvolvimento.

Entre 99 e 2001 foi um dos repórteres que desenvolveu o projecto de 13 Documentários sobre o “Séc. XX português”, já exibidos na SIC Notícias.

Frequentou o centro de formação da RTP, vários Workshops de comunicação e o centro de formação da RDP.

Desde Janeiro de 2010 regressou à RTP sendo que a Grande reportagem “Até onde poderei sonhar” foi o último grande trabalho que fez como jornalista da SIC.

Apresenta desde 2010 o magazine de televisão “Janela Indiscreta”. Ao regressar aos quadros da RTP, desenvolveu e fundou com uma equipa multidisciplinar a Academia RTP.

Escreveu argumentos para televisão e em breve realizará a sua primeira curta metragem.

 

Mário Augusto